Notícias:

10

Fevereiro

Novos produtos ajudam fábrica Bebidas Monte Roraima a driblar crise na pandemia

 

A indústria Bebidas Monte Roraima, localizada na capital Boa Vista, comemora o sucesso dos novos produtos, lançados no último ano, para tentar driblar a crise provocada pela pandemia da Covid-19. Com a produção de novos refrigerantes, mudanças no design dos rótulos e mais opções de embalagens para água e tubaína, a direção da empresa afirma ter mantido bom nível de faturamento ao final de 2020, além de modernizar a atuação da fábrica.

Associada à Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil), a fábrica roraimense completa 31 anos de história nesta terça-feira (9). De acordo com o diretor, Vaneri Antonio Verri, a empresa já projeta novos investimentos para 2021. Segundo ele, a fábrica quer iniciar a produção de sucos e agregar mais sabores às linhas de refrigerantes.

No fim do ano passado, uma pesquisa do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), apontou que negócios que inovaram durante a pandemia tiveram perdas menores. Conforme constatou o estudo, os empresários que desenvolveram práticas inovadoras em seus negócios tiveram mais sucesso na melhora do nível de faturamento.

Novidades e alcance digital

A empresa de Boa Vista confirmou seu legado de “ousadia” e, além de diminuir o açúcar dos refrigerantes em 25%, agregou os sabores cola, uva e laranja à linha Bizu, em embalagens de 1 e 2 litros e 350 ml. A indústria também implementou o volume de 1 litro à água mineral e também passou a envasar em copos biodegradáveis de 250 ml. Todos os produtos tiveram mudanças no design dos rótulos.

De acordo com Vaneri Verri, o grande destaque entre os lançamentos foi a tubaína na embalagem de 1 litro, que, segundo ele, virou febre na região. “Muitas empresas aproveitaram e montaram combos com sanduíches, hambúrgueres, pizzas e incluíram nossa tubaína de 1 litro no pacote. Assim, a marca Bebidas Monte Roraima pôde alcançar um mercado digital através de aplicativos de delivery, como o iFood”, destaca o diretor.


le afirma que, ano passado, a indústria teve um declínio de cerca de 25% na produção, em comparação com 2019. Mas, em contrapartida, o empresário de bebidas ressalta que o faturamento se manteve estável, considerando o período turbulento enfrentado pela população mundial. “Se não tivéssemos lançado esses produtos, em 2020, durante a pandemia, poderíamos ter maior queda no faturamento. Tivemos baixas durante o ano, mas não foram tão bruscas graças às novidades que foram bem aceitas pelos consumidores”, pondera Verri.

Desafios

Para o diretor da fábrica Bebidas Monte Roraima, a inovação foi um ato corajoso em meio à crise econômica e sanitária e a escassez de matérias-primas para refrigerantes. Segundo ele, a inflação dos preços dos insumos e o fechamento de indústrias que produziam esses materiais foram os principais desafios.

“Pensamos até em pausar a produção de sabores que têm menos potencial de venda por falta de matéria prima”, revela ele. Em reportagens publicadas no Portal de Bebidas Brasileiras, no final do ano passado, empresários de bebidas também criticaram a escassez e a elevação de preços de insumos para refrigerantes.

Fonte: Afrebras 

Vídeos do YouTube:

Confira nosso canal

Parceiros:

Parceiros de mídia:

Hotel Oficial:

Montadora:

Realização: